Sopa de Abóbora e Coco

8 Comments

Esta sopa é divina, maravilhosa. Não existe uma vez que a faça e não diga: ‘Um.. que trem bom! (sem trocadilhos’). Mas veja bem, gosto é de cada um. Gosto de todos os ingredientes: das abóboras, da ‘shrimp paste, do ‘coconut cream’(se não tenho uso o leite de coco só que em menor quantidade, pois o ‘cream é mais grosso), o molho de peixe tailandês, os camarões secos, frescos, pimenta, bulbo de capim limão.

Shrimp paste (seria pasta de camarão se fossemos traduzir?) é um ingrediente parecido com o molho de peixe tailandês. Parecido não na consistência, mas no fedor e sabor fantástico e único que acrescenta aos pratos. Tenho um olfato muito apurado mas consegui ir além do mau cheiro destes ingredientes. A ‘paste’ não é feita com camarão fresco não, e nem vai na torradinha. Pera lá!! Lhes contarei: é um ingrediente muito popular na cozinha da Ásia oriental (. Indonésia, Tailândia, Malásia, Vietnã e Filipinas) e sul da China. É feita de camarão fermentado moído, e pode ter aspecto diferente dependendo do país. Às vezes pode ter uma aparência mais líquida, como um molho e outras quase como blocos sólidos de cor de chocolate. A variedade que se produz no Vietnã e Hong Kong é de um cinza meio rosado, enquanto que a variedade da Tailândia é de um marrom bem escuro. E foi esta a que usei – veja foto menor.Só compro a minha em lojas de produtos asiáticos.

Bom, depois de todo este lero, lero lhes conto sobre esta sopa que tem um tom asiático como você já deve ter deduzido. Já começo por dizer que é uma sopa deliciosíssississima. É se feita sem o ‘shrimp paste’ provavelmente ainda será gostosa, mas não os fará entender sobre o que faço tanta festa. Por quê? Porque é esta ‘pasta’ juntamente com o fedido-mas-delicioso molho de peixe asiático (o nam pla) que assinam a sopa. Você verá que a receita também pede por camarões pequenos frescos e camarões pequenos secos, porém estes são mais adornos. Já fiz a sopa sem os ditos e confesso que foi como sair com um belo anel: não são imprescindíveis. Porém se os tiver a mão, use sem pensar duas vezes.

Sopas, sopas, sopas. Comprei este livro que se intitula ‘The Soup Bible’- imagina o poder do danado.E há uns 2 anos quando o inverno se aproximou resolvi que também levaria sopa para o trabalho. Afinal num dia de muito frio não há nada mais reconfortante do que um belo prato de sopa.

Comprei umas garrafas térmicas que mantêm o líquido quente por 15h e a cara das minhas refeições de inverno nunca mais foi a mesma. Você nem precisa usar o microondas do trabalho. Faço a sopa de véspera e de manhã cedo quando acordo vou à cozinha, fervo água, enquanto a água esta no processo de fervura ligo o fogo da sopa. Assim que a água ferve encho as garrafas térmicas (a minha e a do namorado), ponho a tampa e deixo as duas quietinhas até chegar a hora de colocar as sopas nelas. A água quente faz com que as garrafas se preparem para receber a sopa. Se as garrafas estiverem frias o choque térmico ao colocar a sopa já comprometerá a temperatura final do líquido. Enfim, chega 1 da tarde e a sopa ainda está fumegando quando abro o recipiente no trabalho. Levo um pãozinho – ou feito por mim ou comprado de véspera, e o consumo com a sopa.

Esta sopa então é uma das muitas deste livro que adoro. E na época de abóboras (neste caso sempre uso butternut squash (as achamos no Brasil?)) esta é a que mais faço. É claro que como coloco a sopa numa garrafa térmica (500ml) tenho que sempre ou picar os legumes muito pequenos ou passar no processador. Porém sempre deixo uns pedaços maiores para jogar por último só para se dar uma outra textura na hora de comer.

Vamos aos ingredientes que devem render para 4-6 pessoas não muito famintas ou 2 muito famintas:

2 dentes de alho esmagados

4 eschalotes esmagados ou cortados minusculamente

½ colher de chá da ‘shrimp paste’(nem pense em colocar mais)

1 colher de sopa de camarões secos, desidratados por 10 minutos e escorridos

1 bulbo de capim limão picadinho

2 pimentas tipo malaguetas, mas verdes, sem sementes

600ml de caldo de galinha ou legume

450g de ‘abóbora’ picada em tamanhos médios

600ml de leite de ‘coconut cream’ou uma quantidade menor de leite de coco

2 colheres de sopa de molho de peixe

1 colher de chá de açúcar – procuro usar o mascavo quanto tenho

115g de camarões frescos cozidos

Sal e pimenta do reino moída na hora

Para decorar: umas rodelas de pimenta malagueta sem sementes, folhas de manjericão asiático ou do que achar

O Preparo:

Pegue os primeiros 6 ingredientes mais uma pitada de sal e jogue dentro de um processador (ou pilão). Moa bem para ficar com uma pasta. Costumo colocar umas gotinhas (ênfase no ‘inhas’) junto.

Coloque o caldo de galinha numa panela e leve ao ponto de fervura. Acrescente a pasta feita com os primeiros 6 ingredientes e fique mexendo até notar que eles se ‘dissolveram’ no caldo. Abaixe o fogo e adicione as abóboras, deixando em ponto baixe de fervura por uns 15 minutos aproximadamente, até quando as abóboras se apresentarão macias (não super moles – fique ligado (a)).

Derrame o ’coconut cream’ na panela (ou o leite de coco) e leve à fervura mais uma vez. Acrescente o molho de peixe, açúcar e pimenta-do-reino. Prove e ajuste o tempero se necessário.Jogue os camarões e deixe cozinhar até que eles fiquem aquecidos. Na hora de servir decore os pratos com folhas de manjericão

8 Comments
  • Cris Cris

    Responder

    Oi moça!Adoro abobora!estive em Curitiba e fomos jantar numa churrascaria, lá além do espeto corrido, leia-se rodizio de carnes, vem um rodizio de massas, experiemtei um conchili de abobora com molho de manteiga e amendoas…maravilhoso!por acaso voce imagina como seria a receita do recheio?aguardo noticias!Cris Crismcristinaff@yahoo.com.br

  • Cris Cris

    Responder

    Oi moça!Adoro abobora!estive em Curitiba e fomos jantar numa churrascaria, lá além do espeto corrido, leia-se rodizio de carnes, vem um rodizio de massas, experiemtei um conchili de abobora com molho de manteiga e amendoas…maravilhoso!por acaso voce imagina como seria a receita do recheio?aguardo noticias!Cris Crismcristinaff@yahoo.com.br

  • valentina

    Responder

    Karen amiga, temos que fazer algo a respeito desta resistencia.rsss Pat, quanto tive na casa da minha mae no ano passado, fui la na horta dela e arranquei o capim limao dela.Lá estava o lemon grass. E ai vi que no Brasil, ao contrario da Asia, nos usamos mais as folhas para cha.A cor desta sopa é realmente maravilhosa.Clarice, quis dividir pois lembrava de mim mesma. Fica achando que nao ia conseguir levar sopa pro trabalho pois nao gostava da ideia de tupperware.E tambem o meu namorado comecou a trabalhar num lugar em que nao tinha microondas.No verao nao era problema.muita salada. mas no inverno..Acabei comprando também uma garrafa térmica bem gorducha que dava para colocar arroz e carne/frango. A razao tambem foi a falta do microondas. E foi bem legal pois conseguimos contornar o problema na epoca.Ah, as quantidades é que me divirto quando vejo que faco quantidades para quatro pessoas.As vezes imagino se serviria 4 por exemplo como entrada. pois definitivamente nao é enough para prato principal.nem com muito pao.rssFer, se pudesse teria ido bater na tua porta com um pratinho.

  • valentina

    Responder

    Karen amiga, temos que fazer algo a respeito desta resistencia.rsss Pat, quanto tive na casa da minha mae no ano passado, fui la na horta dela e arranquei o capim limao dela.Lá estava o lemon grass. E ai vi que no Brasil, ao contrario da Asia, nos usamos mais as folhas para cha.A cor desta sopa é realmente maravilhosa.Clarice, quis dividir pois lembrava de mim mesma. Fica achando que nao ia conseguir levar sopa pro trabalho pois nao gostava da ideia de tupperware.E tambem o meu namorado comecou a trabalhar num lugar em que nao tinha microondas.No verao nao era problema.muita salada. mas no inverno..Acabei comprando também uma garrafa térmica bem gorducha que dava para colocar arroz e carne/frango. A razao tambem foi a falta do microondas. E foi bem legal pois conseguimos contornar o problema na epoca.Ah, as quantidades é que me divirto quando vejo que faco quantidades para quatro pessoas.As vezes imagino se serviria 4 por exemplo como entrada. pois definitivamente nao é enough para prato principal.nem com muito pao.rssFer, se pudesse teria ido bater na tua porta com um pratinho.

  • Fezoca

    Responder

    Amei essa receita!! 🙂

  • Akemi

    Responder

    Val, a cor desta sopa está linda! Obrigada por compartilhar a forma como vc leva a sopa para o trabalho, acho que vou fazer o mesmo a partir deste inverno! Preciso ver se encontro esta pasta, o nam pla já sei que tem aqui. Morri de rir com a quantidade de pessoas que esta sopa e o salmão servem. Aqui em casa nos encaixaríamos na segunda opção, sem duvidas! rsss MORTOS DE FOME! rsss

  • Patricia

    Responder

    Val, não sabia que lemongrass é capim limão – já vi algumas receitas de salada com ele mas sempre esqueço de olhar no dicionário.A cor desta sopa é de matar.O seu jeito de escrever nos faz viajar e imaginar os sabores mil do mundo.

  • Karen

    Responder

    Fui procurar a pasta de camarão na Liberdade e nas duas lojas em que entrei eu não achei! Mas quando li que ele era parecido com o molho de peixe, desisti! Não tive uma boa impressão com ele, quem sabe com o tempo e insistência! Tirando esses ingredientes, gostei de todo o resto!

Leave a Comment