Salada crua de beterrabas e ervas

3 Comments

Não leio jornal toda semana, mas tenho hábito de comprar o The Guardian todo sábado e  de ler a parte de viagens de férias e também a revista pois ela traz artigos de culináia: um artigo do Yotam Ottolenghi e de outros dois outros dos quais não vou falar hoje.  Através dos anos vi muitas receitas do Ottolenghi; várias executei, com outras só sonhei. Mas sempre as namoro. Sem exceção. Fico sempre encantada com a forma inusitada de preparar um certo legume, a combinação de ervas, temperos. E fico besta de como sou limitada na minha criatividade. Pessoas como o senhor Ottolenghi vieram a este mundo para nos apresentar possibilidades infinitas de atiçar os sentidos. ‘E incrível como no nosso dia-a-dia corrido, em que a vida muitas vezes nos ganha na corrida diária, nos limitamos muitas vezes ao mesmo, ao familiar. Afinal ele é fácil, sem riscos. Mas veja como só no campo das ervas  um punhadinho de salsinha já dá um toque simpático; daí se juntamos a salsinha à hortelã a  alquimia já muda, e o prazer já é outro. E misturando umas as outras somos surpreendidos ainda mais por estas várias explosões de sabores. Como um lindo dia de sol.

E nesta receita de salada de beterraba crua é bem isso que ele faz. Só de ler a lista de ervas lembro ter erguido as sobrancelhas e pensado: Santa Bárbara, que carnaval de ervas!! E confesso, hand in my heart, que titubeei. Só me arrisquei por ser fiel ao Ottolenghi e me entregar ao que ele diz que dá certo. Deus  que é testemunha – sem querer ser carola, me viu sorrir na cozinha a dar a primeira mordida. Pensei: ‘Ottolenghi danado, você tem toda razão de colocar todas estas ervas juntas’. Elas criam um laço de amizade que dá prazer a quem o vivencia. Quem diria! E já fiz esta receita muitas vezes desde o dia 15 de setembro, quando ela foi publicada. Tal a minha paixão por ela. Assim que a li enviei um email a minha amiga RL que é vegetariana e disse: ‘ Checa esta receita pois é da tua praia’ – talvez não com estas exastas palavras, mas neste tom. Quando a fiz no dia seguinte com minhas duas variedades de beterraba fiquei enfeitiçada.

Veja bem, como já repeti muito esta receita  nem sempre tenho tido todos os ingredientes. E isto não me tem intimidado. Tenho tido sorte de ter sempre o endro/dill, o estragão, a salsinha e o coentro em casa, mas não fique acanhada caso não tenha a seleção, e brinque com a receita – use o que tiver na falta de todos os ingredientes, se aproprie um pouco da receita. Receita é só um guia em saladas. Não é que nem receita de bolo em que se você deixar de usar um elemento imprescendível o resultado final vai desandar. Agora na minha opinião as sementes são imprescendiveis pois dão textura,  além de todas as outras coisas saudáveis que elas propiciam Por que não tostá-las com antecedência e guardar em um tupperware para quando precisar?  Tenho sorte de ter estas beterrabas variadas – a mais conhecida cor de vinho tinto (na minha palheta a vejo assim), a amarela cor de sol,  e a rajada. Porém já a fiz somente com um tipo – isto não importan Neste começo de outono esta salada é um arco-íris na minha cozinnha. E tenho certeza que dentro de mim também. Me faz pensar em dias de sol, em multidão andando na rua, curtindo o sol. Uma brisa que bate no rosto em um passeio de barco.


Salada crua de beterraba e ervas frescas

Receita de Yotam Ottolenghi publicada na revista de sábado do jornal The Guardian

Ingredientes:

  • 30g amêndoas em lascas
  • 15g sementes de sésamo
  • 45g sementes de abóbora
  • 300g beterrabas cruas, descascadas e cortadas a julienne
  • 40g manjericão fresco rasgado em pedaços
  • 20g salsinha picada
  • 30g endro/dill fresco
  • 20g coentro fresco – folhas
  • 10g estragão fresco
  • 1 colher de chá de pimenta seca em flocos
  • 2 colheres de chá de raspa de limão
  • 3 colheres de sopa de sumo de limão
  • 5 colheres de sopa de azeite de oliva
  • sal e pimenta do reino moída na hora

Preparo:

Caso você não tenha sementes já tostadas pre-aqueça o forno – 180oC.  Coloque as amêndoas, gergelim e abóbora em uma assadeira e leve ao forno para tostar por uns 6 minutos. Isto fará com que o sabor delas realce. Retire do forno e deixe esfriar.

Coloque a beterraba em uma vasilha, seguida das ervas, pimenta em flocos e raspa de limão. Jogue as sementes e amêndoas na vasilha, seguido do sumo de limão, sal e pimentea do reino a gosto mais azeite de oliva. Misture tudo delicadamente com uma saladeira e sirva. Seja generoso (a) pois acho difícil você ficar sem repetir.

3 Comments
  • Diulza Angelica dos Santos

    Responder

    Valentina me perdoe deixei o comentário do pão de cerveja aqui, mais voltei para te dizer que fiz a beterraba, ficou de lamber pratos,todos gostaram eu já não sabia mais o que fazer cm beterraba, sempre era as mesmas receitas, esta fez sucesso. bjs

    • Trembom

      Diuza, que ótimo. Também amo esta salada.

  • Diulza Angelica dos Santos

    Responder

    Valentina acho que já te falei que eu viajo com voçe, queria te dizer que amo os texto devias fazer um livro, infelizmente aqui nada neste cotexto aconteçe,o chique aqui são restaurantes de chef que viraram estrela e a comida vai perdendo a sua função de alimentar a alma. bjs..

Leave a Comment