Quem faz o Tachos de Ensaio

33 Comments

Marizé é a dona do Tachos de Ensaio e mora em Portugal. Fiquei muito feliz por ela ter aceito participar deste primeiro post da série intitulada ‘Blogueiros de língua portuguesa’, que será publicado na primeira e última quarta feira de cada mês aqui no Trem bom. É uma oportunidade de conhecermos melhor aos membros desta comunidade que tem crescido tanto nos dois últimos anos.

Como foi que o Tachos de ensaio nasceu?

R: Depois de muito coleccionar receitas retiradas da Internet, descobri que algumas delas não funcionavam, até que descobri os blogs e me apercebi que de facto as receitas eram contadas na primeira pessoa, testadas e confeccionadas para na maior parte das vezes alimentar a família ao contrário dos sites de culinária que a maior parte das vezes apenas serve o interesse dos anunciantes.

Enfim, comecei a visitar assiduamente os blogs de culinária, e a vontade de partilhar as minhas próprias experiências foi se tornando cada vez maior.

Entretanto o meu irmão, que sempre foi o meu maior companheiro nos ensaios culinários, foi viver e estudar para Londres e viu-se a braços com os seus próprios ensaios, quase todos os dias falava-mos sobre o que fazer para as refeições do dia a dia, esse foi o “empurrão” que faltava, enquanto ia contanto ao mundo as minhas aventuras à volta dos tachos, criava um arquivo que de alguma forma ajudasse o meu irmão a lidar com as suas dificuldades num pais estrangeiro onde tudo é muito caro principalmente para um estudante de música com uma bolsa.

O que você comeu ontem a noite?

R: Ontem foi Sábado, e aos fins-de-semana as refeições são muito ligeiras pois estamos em casa e vamos petiscando quando nos apetece, além disso o corpo não gasta muita energia pelo facto de ser altura de descanso, por isso comi uma salada de arroz selvagem com molho mil ilhas.

Qual refeição você prefere – café da manhã, almoço ou jantar?

R: Eu prefiro o jantar, pois para além de estar-mos todos à mesa não há a pressa de acabar para ir cumprir horários a seguir. Excepto ao almoço de Sábado que nos juntamos aos meus pais, ao meu outro irmão e minha cunhada, é uma alegria uma mesa cheia de gente e claro, as comidinhas da mãe.

Você assiste a shows de cozinha?

R: Por norma não vejo muita televisão, porque não gosto e não tenho paciência para estar tempos infinitos sentada no sofá, mas claro que sempre que o horário o permite eu vejo alguns, os que me agradam.

Que ingredientes você sempre tem na geladeira?

R: Leite, queijo e pelo menos um legume para salada ou sopa nunca faltam.

Quais pessoas gostarias de convidar para um jantar especial?

R: Para além da minha família, que se pudesse estaria comigo todos os dias, uma pessoa com quem eu gostava de sentar à mesa para conversar seria: Rosa Lobato de Faria, Fredie Mercury, e na área da gastronomia, gostava muito de estar com algumas e alguns blogueiros que tenho tido o prazer de contactar neste quase 1 ano que tenho o Tachos.

Qual o seu restaurante favorito?

R: Parece incrível, mas não sou muito frequentadora de restaurantes, e na minha zona não há muita variedade, há muitos restaurantes mas todos dentro da mesma linha, ou seja: exploram a fama da sopa da pedra e depois servem basicamente grelhados.

O restaurante que mais assiduamente frequentei, e por isso era o meu preferido já não existe, era um restaurante pequenino de ambiente familiar onde eu e o meu irmão ia-mos jantar à Quinta feira depois das aulas na escola de musica e antes do ensaio da orquestra. Comia-mos sempre o que estava pronto na hora, a comida era simples, bem confeccionada e deliciosa, na hora da sobremesa se não nos decidíamos o que comer a dona trazia-nos um bocadinho de cada coisa, e no final preparava-nos um capuccino com verdadeira espuma de leite, era um ambiente onde éramos recebidos como amigos.


Qual a refeição que mais lhe marcou?

R: Não foi uma refeição em particular, mas várias num verão em que eu e um grupo de jovens fomos fazer trabalho voluntário de animadores de crianças entregues a uma instituição. Essa instituição recebe para além de crianças sem lar, idosos que não têm família e deficientes, muitos deles profundos, abandonados pelas famílias e não “aceites” na sociedade. As refeições eram principalmente o que sobrava dos hotéis, pois estávamos numa zona balnear destino de férias privilegiado por pessoas de largos recursos financeiros e principalmente estrangeiros, os hotéis que tinham serviço de self-service no final guardavam o que não era consumido e enviava para a instituição.

Nós fazíamos as refeições em conjunto com eles nunca incluindo nada que pudéssemos comprar ou ter levado num espírito de partilha e de aceitação.

A minha filha que na altura ainda não tinha 3 anos acompanhava-me e só comia algo de diferente na privacidade do nosso quarto, um dia tinha-mos conseguido que uma casa comercial nos oferecesse uma boa quantidade de chocolates. No fim de almoço distribuímos os chocolates por todos e a alegria foi comovente, no fim os que sobraram foram distribuídos por nós, os primeiros foram para os mais novos, claro que a mais pequena era a minha filha; ela tinha o chocolate na mão quando um deficiente lho tirou num impulso que se via claramente que era de sobrevivência do mais forte, ainda hoje essa imagem me passa pela cabeça e a Maria mais assustada do que triste por não saborear o chocolate aprendeu que alimentar-se tem o significado de matar a fome antes de todas as outras coisas como sendo o prazer de saborear um simples chocolate.

Você tem algum destino culinário preferido?

R: Toda a gente conhece a minha paixão por especiarias, por isso gostava muito de conhecer in loco a culinária do médio oriente.

Tenho também uma admiração muito grande pela dieta mediterrânea, por isso um cruzeiro pelas ilhas gregas também seria um destino a considerar, he, he, he…

Que comida lhe lembra a infância?

R: A minha infância foi marcada por sabores modestos, a comida que me faz viajar até essa altura é a sopa juliana da minha mãe, as ervilhas com ovos escalfados da minha avó e em alturas de festa, as empadinhas de galinha da minha tia.

Você já teve que comer algo que detestasse só por educação?

R: Sou de muito boa boca e acho que não há nada que eu deteste, há as coisas que gosto menos. Acho que me aconteceu uma vez em casa de pessoas amigas, serviram-me mão de vaca com grão, eu comi mais por educação do que por prazer.

Qual a maior influência no seu modo de cozinhar?

R: Tenho muitas influências da minha mãe, não posso negar, mas acho que desde cedo me comecei a destacar por ser mais ousada no uso de outros temperos e ingredientes que na altura não eram vulgares, essa influência vem da minha paixão pela leitura que desde cedo caminha a par com a paixão pela gastronomia, comecei a ler e a cozinhar com 6 anos.

Doce ou salgado?

R: Para saciar a fome, salgado sem duvida!

O que escolherias para a tua última ceia?

R: UAU! Isso dá que pensar. Eu acho que ia querer um tornedó Rossini, trufas com ovos mexidos e um bolo de chocolate bem molhadinho com uma cobertura de chocolate amargo bem cremosa, e para acompanhar uma garrafa de Moet Chandon.

Nos conte algo inusitado a seu respeito.

R: Estranho, inovador, extraordinário, este foi o significado que encontrei para a palavra inusitado. Sendo assim e como este questionário têm a haver com a nossa personalidade gastronómica, acho que não há nada de extraordinário nesse capitulo, coisas estranhas, deixa lá ver….

– Não como pão ás refeições

– Tenho tendência para deixar a comida com pouco sal

– Nunca provo a comida quando a estou a preparar

– Com excepção do vinho, não bebo antes de terminar de comer

– Irrita-me solenemente que me tirem o copo da frente (mesmo vazio) antes de eu sair da mesa.

– Sou demasiado curiosa, quando há algo que não conheço não tenho sossego enquanto não absorvo toda a informação disponível sobre o assunto.

. Tenho uma fixação em bules, chaleiras, almofarizes e galinhas.

– Venero com exagero as minhas especiarias

– A minha biblioteca culinária está na cozinha

– Penduro tudo o que possa ser pendurado

– Não gosto de ter a televisão ligada durante as refeições

– Quando faço um doce tenho muita dificuldade em não meter chocolate pelo meio

– Sou choco dependente e sofro de sintomas de privação

– A pior ofensa que me podem fazer é colocar ketchup na minha comida ou pedirem-me picante para adicionar no prato.

– Odeio plástico!

– Admiro os ousados de paladar, não admito que me digam: “não gosto”, quando sei à partida que não provaram.

Bem acho que já chega senão passo eu a ser a odiada, he, he, he…

33 Comments
  • Marizé

    Responder

    dri haddad: Obrigada pelas suas palavras, é muito gratificante encontrar pessoas com gostos comuns, isso nos dá a agradável sensação de que não estamos sós.Um beijo

  • grazi

    Responder

    Adorei a idéia do questionário par conhecer melhor estas pessoas maravilhosas que nos incentivam : obrigada valentina de nos proporcionar esta oportundade!!!

  • dri haddad

    Responder

    interessantissimo esse questionario e encontrei quase tudo em comum com voce!!!que coisa não??minha comida tem pouquissimo sal,odeio tv ligada ,abomino plastico,etc etc etc..adorei voce!!!

  • Simone Izumi

    Responder

    hahahah, que idéia legal!Adorei a entrevista com a nossa ilustre Marizé! Ela é um doce!bjs

  • Cris

    Responder

    Genial sua idéia… a Marizé é uma amiga do coração por quem tenho muito carinho e foi bom conhecê-la mais um pouquinho aqui! 🙂

  • Fer Ayer

    Responder

    Amei a idéia e a Marizé…sem comentários…é demais!!Você também vai fazer isso com as blogueiras brasileiras?Beijos

  • Agdah

    Responder

    Muito legal. Marizé é realmente uma figura.

  • Ana

    Responder

    Sua idéia é nota 10 com louvor. E a Marizé continua nos surpreendendo. Vocês foram ótimas !!!

  • Lílian

    Responder

    Genial a idéia!A Marizé é muito interessante.

  • Verena

    Responder

    Val, adorei sua iniciativa e muito mais poder conhecer a querida Marizé! O questionário e as respostas ficaram ótimos!!! Um beijo grande,Verena

  • Leila

    Responder

    Tina, já te parabenizei por email mas parabenizo novamente pela grande ideia.eu adoro a Marize e o blog dela. sempre muito querida e atenciosa, acompanhou o meu debut no mundo dos blogs desde o inicio.beijinhos a voces duas.

  • lunalestrie

    Responder

    Adorei, adorei a série! E adorei conhecer a Marizé, engraçado que tenho umas coisas em comum com ela… Além disso, que pessoa interessante e marcante ela é, não? Uma ótima leitura… Beijos pra ti e pra ela! 😀

  • iliane

    Responder

    ideia otima…e..adorei conhecer a Marizé um pouco mais.!!!.muito bom..assim a gente conhece um pouco de cada um que a gente se fala quase todos os dias..parabens Valentina!!e..otima entrevista da Marizé..bjus

  • Marcia

    Responder

    Ótima idéia! Bj

  • Bia Belliard

    Responder

    adorei a ideia, e poder cozinhar a Marize um pouco mais ! bjs

  • Luciana

    Responder

    Valentina, achei essa idéia fabulosa, está de parabéns. Adorei conhecer mais a Marizé, ela é um espetáculo.Bjos, Lú.

  • Flavinha

    Responder

    Valentina, parabéns pela ótima idéia! Amei ler tudinho!Beijos

  • Goreti

    Responder

    Tina que dez…super idéia…adorei conhecer mais um pouqinho dessa menina tão alegre e criativa…parabéns as duas.Beijos!!!

  • Ana

    Responder

    Que ideia boa, gostei!E quantas receitas deliciosas vc postou ultimamente Valentina!Ana

  • Suzana

    Responder

    Grande ideia, Valentina! Achei o máximo e claro, adorei ler as respostas da minha amiga Marizé!Bj grande

  • Luciana Macêdo

    Responder

    Sem dúvida uma ótima iniciativa e bem preparada, com perguntas interessantes e respostas inteligentes…o que nos faz ler do início ao fim com muito prazer.Bjs!

  • ameixa seca

    Responder

    Bela ideia. Gostei muito de conhecer um bocadinho mais a Marizé… alguém sem dúvida extraordinário e que visito todos os dias 🙂

  • risonha

    Responder

    Valentina, mas que ideia tão engraçada a tua… é uma maneira óptima de ficarmos a conhecer mais um pouco das pessoas com quem nos “cruzamos” todos os dias na blogosfera.adorei saber mais um pouco da Marizé.

  • Eliana Scaramal

    Responder

    Que barato sua idéia Tina?! Adorei saber mais sobre a primeira eleita para essa nova série!

  • pimenta rosa

    Responder

    A ideia é muito gira e o blog também foi muito bem escolhidobjs

  • Fabrícia

    Responder

    Velentina que idéia deliciosa. Adorei essa pequena entrevista com a querida Marizé…uma pessoa encantadora.Ah me conta uma coisa deu certo o tabel tunisiano? Bjcas.

  • Laurinha

    Responder

    Se antes já era uma delícia vir aqui, tenho mais um bom motivo!Adorei a iniciativa, o post foi preparado com muita inteligência, dos dois lados: entrevistadora e entrevistada!Fiquei conheçendo mais um lado da Valentina, e da Marizé, uma menina linda!Obrigada!Beijinhos,

  • pipoka

    Responder

    Valentina, Adorei esta sua ideia. Ficarei atenta a essas quartas-feiras tão especiais!bjs

  • caosnacozinha

    Responder

    Excelente ideia, gostei muito! E gostei mais ainda de conhecer a Marizé assim, contada pela própria. A iniciativa é mesmo muito interessante e mal posso esperar pela última quarta-feira do mês!Beijos às duas *Mariana

  • Migas

    Responder

    Uau! A Valentina abriu esta rubrica em grandes estilo! :o) Adoro a Marizé e gostei muito das suas respostas! Mas agora, Marizocas, não te posso pedir gindungo para temperar a comida? Ahahah… Estou na brinca!À Valentina, muitos parabéns pela inciativa! Para além das perguntas estarem muito bem formuladas, dá-nos a oportunidade de conhecer um pouco mais as pessoas que fazem os blogs que visitamos. :o)Beijos, às duas!

  • Marizé

    Responder

    Valentina, você sempre foi desde o inicio do Tachos uma das minhas inspirações.Obrigada.Adorei a ideia e foi um prazer.Beijo grande

  • laila

    Responder

    divina a idéia e que grande estréia!!!!adorei conhecer mais a Marizé…perguntas e respostas super interessantes ….sabe q eu não pderia imaginar o tamanho do contacto q eu teria com as/os portugueses atraés do blog…é realmente espetacular unir as culturas, tirar dúvidas…agora diz lá Marizé, q é a mão de vaca com grão? é tipo um cozido de pés d eboi com grao de bico??/ixi esse eu tbm não provaria!!!bjos as duas!!!

  • Daninha

    Responder

    Ola Moça! Adorei a idéia do questionário para nos conhecermos melhor. Adorei ler o mesmo, cheio de particularidades. Parabéns. Venho sempre aqui, alías, assino seu e outros muitos Rss culinários. Bjs Daninha – CineBistrot

Leave a Comment