Pão Babka

2 Comments

Este pão é uma delícia. Lembrou-me muito de pães doces que comia no Brasil. No livro de onde tirei a receita a autora conta que esta é uma receita judia. Na África do Sul aonde ela cresceu se encontrava este pão em padarias judias. Esta receita especificamente é da avó de uma amiga da autora, Tessa Kiros.
Ele fica bem úmido por dentro, com um cheiro de levedo que é maravilhoso, e um adocicado ‘acanelado’. A cozinha fica com um cheiro ótimo. Já fui tirando uma fatia asim que saiu do forno mal deixando esfriar. Acho que quando fizer de novo talvez jogue umas uvas passas dentro – sem querer alterar muito a receita. Ele fica bom esquentando também no dia seguinte – caso sobre.
Esta receita me trouxe muitas memórias. Tinhamos uma vizinha de Teófilo Otoni, Minas Gerais quando morava em Brasília que sempre fazia roscas lindas e maravilhosas. Ao enrolar o meu pão, pois não tinha forma de pão comprida o suficiente para colocar a massa dentro, lembrei-me das veze em que ela fazia roscas parecidas. O alimento impregna o nosso ser com lembranças.Nos faz reviver momentos passados.

Pão Babka
 
Ingredientes
  • 625g de farinha de trigo
  • 1 colher nivelada de sal
  • 80g de açúcar
  • 25g de fermento fresco ou 15g de fermento desidratado
  • 250ml de leite tépido
  • 60ml de óleo vegetal
  • 2 ovos grandes batidos levemente
Ingredientes para o recheio de canela
  • 1 colher de sopa de canela em pó
  • 100g de açúcar mascavo
  • 60g de manteiga em temperatura ambiente, bem macia
  • 1 gema
  • 1 colher de chá de leite
  • 30g de açúcar mascavo para polvilhar o pão
Instruções
Preparo
  1. Coloque a farinha de trigo, o sal e o açúcar numa tigela grande. Pegue uma outra tigela pequena e esfarele o fermento fresco nela. Caso você vá utilizar o fermento desidratado derrame a quantia indicada na vasilha. Ponha o leite e o óleo por cima e misture levemente. Deixe descansar por 10 minutos aproximadamente até que o fermento entre em ação. Derrame a mistura com o fermento na tigela com os ingredientes secos – raspe a tigela bem raspadinha. Se você tiver uma batedeira com pá de gancho especial para massa de pão coloque tudo na batedeira e bata até que os ingredientes fiquem bem misturados. Caso não tenha a batedeira misture tudo bem com as mãos enfarinhadas.
  2. Acrescente as gemas e misture mais um pouco para que tudo se incorpore. A massa deve ficar grossa e difícil de manusear, com aparência pegajosa. Ponha a massa numa superfície previamente levemente polvilhada e trabalhe bem por uns 10 minutos aproximadamente. Acrescente um pouco mais de farinha se precisar. Mas não muito, só para ajudar a massa a adquirir uma consistência meio grudenta sem que grude nas mãos. Unte uma vasilha levemente e ponha a massa nela. Cubra com plástico PVC e ponha para descansar num canto quentinho da cozinha – aproximadamente 1½ hora, até que a massa dobre de volume.
  3. Pegue a massa e divida-a em 2. Ponha uma metade de volta na vasilha e cubra enquanto você prepara a outra metade numa superfície levemente polvilhada. Abra uma metade em um retângulo de aproximadamente 25 x 45 cm e ½ cm de espessura. Espalhe metade da manteiga pela massa aberta e depois polvilhe tudo com a mistura de canela e açúcar. Enrole a massa como um tubo, reserve e faça a mesma coisa com a outra metade. Depois pegue as duas metades e faça como que uma trança, apertando bem nas pontas para que não se desprendam. Coloque a trança numa forma de pão de 30 cm, cubra com plástico PVC e reserve num canto quentinho por mais uma hora ou até que a massa inche novamente.
  4. Pre-aqueça o forno – 180oC. Bata a gema e o leite e pincele o pão com esta mistura quando ele estiver pronto para ir ao forno. Após pincelá-lo salpique o açúcar por cima dele. Ponha a forma na parte mais baixa do forno sem nenhuma grelha por cima por aproximadamente 30-40 minutos. Vai ficar grande e bem dourada. Se você colocar um palito nela vai sair limpinho. Retire do forno e deixe descansar por uns 5 minutos antes de transferir o pão da forma para a grelha.

2 Comments
  • Gina

    Responder

    Ai, Tina, não me fale em rosca de canela! Ela me remete a boas lembranças também, de quando morei em Campinas e recebi de uma amiga uma receita, passando a reproduzir de vez em quando. O cheirinho de canela é inebriante.
    Bjs.

  • Anonymous

    Responder

    Desculpe, me podera dizer o que é fermento desidratado? Eu me farto de procurar nas lojas e nao encontro.

Leave a Comment

Rate this recipe: