O Canal Worcester & Birmingham – Parte 1

3 Comments

Adoro fazer caminhadas, e tenho vários projetos pessoais que envolvem caminhadas em certos trechos do país com as temáticas mais diversas. Este post é sobre a caminhada que fiz ao longo do canal Worcester-Birmingham. A minha motivação quanto a esta caminhada é primeiramente por gostar de caminhar, e em segundo lugar por gostar de ter pequenos projetos. Acho que fica mais interessante e divertido.  E este trecho da rede de canais do Reino Unido foi muito importante no desenvolvimento da revolução industrial, antes do advento das locomotivas. E foi também fundamental para o desenvolvimento de Birmingham. O canal foi construído a partir de uma lei que foi passada em 1791.

Este mapa é do Canal and River Trust – CRT. Clique no link para saber mais sobre eles.

O trecho inteiro é de 30 milhas, então eu e uma amiga viajamos de trem para Birmingham para começar a caminhada a partir de Birmingham.  Gas Street em Birmingham foi o nosso marco zero, eclusa 59.    Gas Street foi a primeira rua a ter iluminação a gás. Há 59 eclusas no canal de Birmingham a Worcester, e começamos a caminhada no lock de número 59, num ponto bem histórico.   Ao começar a caminhada nos deparamos com muitas ‘barges’, navegações típicas dos canais e que são barcos comprido e de fundo raso. A medida em que nos distanciamos do centro as barges se tornam menos frequentes.

Hoje em dia esta área the Gas Street está cheia de prédios residenciais, assim como bares, restaurantes, lojas incluindo o famoso shopping centre The Mailbox.  É uma área de lazer grande da cidade, onde a história e a modernidade estão lado a lado. As construções que margeiam o WB canal são bem variadas – casas na margem oposta com jardins muitas vezes, construções que foram postas a baixo, casas com trapiches na beira do canal com mesas e cadeiras, ou mesmo somente bancos virados pro canal. Fiquei imaginando como seria este cenário de começo de outono se passássemos por aqui na primavera ou começo de verão. Provavelmente haveria muita gente sentada papeando, tomando vinho, crianças brincando.

Fizemos este trecho em um sábado, e sempre cruzávamos com alguém no caminho – ciclistas, corredores, casais, turistas, jovens em grupos, famílias, gente andando com o cachorro.  A caminhada é feita pelo lado direito do canal por muito tempo, e antigamente era por onde iam os cavalos que puxavam os barcos antes da aparição dos motores a Diesel.  Em certos trechos a passagem é bem estreita, e quando aparecia alguém no sentido oposto eu e minha amiga tínhamos que andar como que em fila para dar espaço para quem se aproximava no sentido oposto.  Há um certo código de cortesia dos caminhantes, e na grande maioria das vezes as pessoas se cumprimentam – ‘Hello’, ‘Good Morning/ Afternoon’, tudo em um tom bem descontraído. Há, entretanto, uma meia dúzia que passa sem falar uma palavra, e tão pouco faz ‘eye contact’.

No sábado em que andamos principalmente no trecho de canal que fica em Birmingham ou Great Birmingham, nós não passamos por nenhum pub e consumimos o que levamos na bolsa: frutas, sanduíche, água. Toaletes púbicos também foram escassos neste trecho. É bom pesquisar antes de fazer a caminhada para levar o que precisar de alimentação e não ficar com fome sem poder se alimentar por não ter um lugar a mão.

Ao nos aproximarmos da fábrica da Cadbury (antiga Cadbury’s) ficamos ansiosas, esperando aquele cheiro de chocolate no ar, porém nos decepcionamos, pois não sentimos nem o cheirinho mais fraco. Sendo sábado, disseram que a fábrica não está em atividade, portanto não tem cheirinho lançado no ar. A fábrica da Cadbury fica em Bourneville, um vilarejo histórico; e a cor lilás, que é marca das embalagens da fábrica, é também cor predominante na área da estação de trem de Bourneville. Você pode organizar uma visita à fábrica, mas nós nos satisfizemos só de passar por lá pois, afinal, ainda tínhamos muito que andar, não só no sábado, como no domingo também. Caso você não saiba, a Cadbury é uma das maiores produtoras de confectionary do mundo. E aqui vive no imaginário do inglês.

Cada trecho da caminhada tem suas próprias características, e isto faz a caminhada mais interessante. Nunca tive problemas nas muitas caminhadas que fiz, e olha que as faço normalmente sozinha. Mas infelizmente chegamos em um trecho em que tivemos que sair do canal e criar um detour, pois nos sentimos numa situação vulnerável com duas mulheres caminhantes.  Apesar da nossa rota ter crescido exponencialmente, acabamos conhecendo um trecho de um outro canal que termina no canal de WB – o Stratford Canal, e vem desde a região de Stratford Upon Avon. O trecho foi muito mais calmo do que aonde estávamos. Não havia muitas embarcações, ou mesmo muita gente. Andamos na margem direita, muito verde, enquanto a margem esquerda é cheia de jardins de casas e barcos. Foi uma caminhada bem gostosa, e nos fez esquecer um pouco da razão pela qual nós tivemos que sair do outro canal.

Ao nos depararmos novamente com o canal de WB, o trecho estava começando a ficar menos urbano e bem mais charmoso. O engraçado é que o detour foi imenso, mas ao retornarmos ao canal não estávamos muito longe do trecho que havíamos decidido evitar.  Ainda tínhamos umas boas milhas pela frente, mas devido ao horário, e ao fato de que não queríamos andar no escuro, andamos por mais umas duas horas e saímos do canal para pegar transporte para a nossa acomodação para a noite.  Não havia nada perto, e tivemos que pegar um ônibus até um trecho de onde pegamos um táxi pro hotel. Este planejamento adiantado é necessário, e o seu hotel pode lhe ajudar com número de táxi, ônibus disponível, etc.

Volte pra ler sobre a caminhada do domingo pois foi o trecho mais bonito. Aguardo você na semana que vem. E se quiser fazer caminhadas comigo me mande um email ou deixe o seu nos comentários.


 

 

SaveSave

SaveSave

SaveSave

SaveSave

SaveSave

3 Comments
  • Maria Odete Neves

    Responder

    Fantástico!!!
    Que bom ter vc de volta! Fez falta, viu?
    Aguardando o próximo post, pra viajar com vc. Adoro o interior do UK.
    Na minha próxima ida até aí, vou fazer um roteiro diferente… Percorrer esses vales verdes, pegar uma estradinha com muro de pedra…
    Um abraço!

  • Maria Odete

    Responder

    Fantástico!!!
    Que bom ter vc de volta! Fez falta, viu?
    Aguardando o próximo post, pra viajar com vc. Adoro o interior do UK.
    Na minha próxima ida até aí, vou fazer um roteiro diferente… Percorrer esses vales verdes, pegar uma estradinha com muro de pedra…
    Um abraço!

  • Renata Lampião

    Responder

    Tina, bom saber que esta região preserva a história sem negligenciar os avanços do mundo hodierno. Palavra que não sai da boca do padre da minha paróquia rs. Gostei muito de te ‘acompanhar’ nesse passeio. Paisagem revigorante!

Leave a Comment