Mais uma Experiência com Brioche

0 Comment

Quando vi esta receita no Technicolor Kitchen percebi que era uma ótima receita. Dei também uma olhada no post original. Não que precisasse ser convencida pois a Patrícia do Technicolor já vendeu o brioche pra mim com a sua descrição.

Hoje fiz a receita – finalmente. Isso mesmo, mais um daquela lista que graças a Deus esta diminuindo.

Não vou colocar a receita aqui de novo. Caso queira lê-la em português entre aqui. Se preferir vê-la em inglês vá aqui.

Vou usar este espaço para dar o meu ‘testamento’ da receita e o meu approach.

Vou começar pelo fermento. Usei fermento fresco como na receita original. Porém não faço a ‘esponja’ pois aprendi num curso que se usamos boa farinha de pão isso não é necessário pois a farinha já tem açúcar suficiente. Caso você faça o pão no Brasil siga os passos pra esponja pois vocês usam farinha de bolo e o teor de açúcar não é o mesmo das farinhas de pão segundo me explicaram. Não sei se dá pra você ver bem na foto mas coloco a farinha de trigo na tigela, o sal de um lado, do outro o açúcar, e no outro canto o fermento fresco. Jogo um pouquinho de farinha para cobrir o sal, mais um pouquinho para cobrir o açúcar (assim não há contato com o fermento antes da hora certa). Com as mãos eu esfarelo o fermento com a farinha – mãos juntas com fermento e farinha no meio fazendo fricção. Dá pra visualizar? Somente quando o fermento está todo misturado com a farinha é que pego a espátula e misturo tudo.


O próximo passo é fazer um buraco no meio desta mistura seca. Pego a manteiga derretida, o leite, o ovo (levemente batido antes de ser misturado) e misturo numa outra tigela (pode ser mesmo na panela aonde a manteiga foi derretida). Derramo o líquido no centro da mistura seca e com uma espátula vou misturando o líquido à mistura seca. Faço isso através de movimentos circulares. Somente quando líquidos e sólidos estão misturados uniformemente é que me preparo para jogar a mistura na mesa e sovar. Ponho só um pouquinho de farinha para polvilhar a mesa. Sovo até a mistura dar o ponto. A mistura a princípio é grudenta, mas NÃO ponho mais farinha. Boto fé e sovo. Às vezes uso a espátula para raspar massa da mesa e uno isso à massa existente. Tudo se aproveita. Quando a massa dá ponto a coloco de volta na vasilha aonde a massa foi inicialmente misturada. Veja bem, esta vasilha não deve ter resíduo de massa. Só polvilhe levemente com farinha de trigo, ponha a massa dentro e cubra. Deixe a massa descansar até dobrar de tamanho. Isso deve durar aproximadamente 1 hora.

O resto é de acordo com as instruções.

Quando enrolei dois dos brioches coloquei pedacinhos de goiabada dentro. A coisa mais deliciosa e comer o brioche pronto e morder o pedaço com a goiabada derretida. A massa desse brioche cresceu horrores como você pode ver na foto. Quando fui dividi-la fiquei impressionada com o tamanho. Fiz 12 bolinhos de 75 gramas cada um e mais um extra de 69 gramas.

Quando pus pra crescer a massa ainda ficou maior. Assustador. A única coisa que farei diferente é pincelá-los com leite na próxima vez. Achei que a manteiga derretida os deixou muito opacos. Agora o sabor… fantástico. Nunca achei que conseguisse fazer pães desta qualidade em casa.

0 Comments

Leave a Comment