Dim Sums

12 Comments
clique na foto para ampliar

Mal coloquei um post de frango com mel ( veja post anterior se ainda não viu) e já volto novamente. A intenção não é de dar um overload no leitor, mas às vezes se tem várias coisas para conversar. E queria muito lhes falar de dim sums.

A minha paixão por dim sums começou a partir do momento em que passei a frequentar a rede Ping Pong em Londres. Veja bem, eu já havia comido dim sums em outros restaurantes chineses, mas não me empolgava muito. E não entendia como e porquê as pessoas faziam tal propaganda. Conversando com uma colega de trabalho, Mukti, muito interessante, que adora boa comida, e esta sempre checando lugares novos em Londres, ela me disse que tinha que ir a um dos Ping Pongs que existem na cidade. Segundo ela em poucos lugares fora da Àsia se come dim sums tão saborosos. Uma vez ao voltar de férias de Hong Kong ela passou num Ping Pong pela primeira vez e se sentiu transportada. E confirmo que o sabor dos dim sums to Ping Pong é coisa do outro mundo. Inclusive, se estiveres em Londres de passagem recomendo uma visita. Virei adepta das pequenas delícias. de comer excessivamente. Uma porção no PP traz 3 dim sums. Costumo ir com uma amiga e pedimos pelo menos 5 tipos diferentes. Não menos que 7 dim sums cada.

Para os que não conhecem dim sums são literalmente ‘delícias do coração’. Existem dim sums cozidos a vapor e outros fritos. Já até comi uns que são assados. Mas tradicionalmente são cozidos a vapor. Têm formatos de pequenas trouxas de roupa – sabe aquele formato? Podem ser de camarão, frango, porco, legumes, frutas. A massa que os envolve é geralmente feita com farinha de arroz. Um elemento básico é que são sempre servidos em unidades, quase que o tamanho de uma mordida – tudo bem, às vezes mordidas de boconas. Tradicionalmente eram servidos nas casas de chá. Leia mais aqui: wikipedia.

Desenvolvi uma grande paixão por refeições feitas à base de dim sum, em que se senta com amigos e se escolhe itens que agradem a todos. Ou à maioria. Adoro o elemento comunal, o fato de que todos dividem e partilham de um mesmo prazer. Isto é algo que sinto falta das refeições que fazia na Ásia, uma grande partilha. Normalmente os dims sums são trazidos nas cestas de bambu que se usa para cozinhá-los.

Estas fotos são de uma ótima refeição à base de dim sums!

EXTRA: Tive que voltar aqui para acrescentar algo ao texto original: conversando com uma amiga malasiana, ela me explicou que dim sum é na verdade o nome coletivo de ‘comidinhas’ que se pode consumir por unidade, e não somente das ‘trouxinhas’ sobre as quais falo acima. Isto me fez lembrar de uma refeição que fiz em Cingapura, em um restaurante famoso por seus dim sums, em que fomos servidos com várias coisinhas comidas em pequenas porções: pés de frango preparados num molho, umas tortinhas que parecem os pastéis de nata portugueses -só que em miniatura, e mais várias outras coisas incluindo as trouxinhas. Certos itens, como os pés de frango por exemplo, não são servidos em vários restaurantes chineses fora da Ásia, e mesmo se fores no teu bairro chinês só os servem para chineses. Isto explica porque nunca vi pé de galinha no Ping Pong. Esqueci de mencionar um dim sum de arroz que vem envolto em folha de lotus, com um perfume e sabor únicos.

12 Comments
  • Neide Rigo

    Responder

    Valentina, que fotos apetitosas. Minha maior frustração é não conseguir fazer estas trouxinhas de farinha de arroz, transparentes. Olhe que eu já tentei. Eu adoro, já comi aqui em são paulo, mas não me lembro onde. Na Liberdade, com certeza, mas não me lembro o restaurante. Seu blog continua lindo e delicioso. Pena que eu não tenha o tempo que gostaria para visitá-lo mais vezes. Mas de vez em quando estarei por aqui. Parabéns. A Eliana me falou muito bem de você hoje. Ela acabou de sair daqui. Estou gostando desta vida de blogueira em que a gente pode conhecer gente bacana, até pessoalmente. beijos, n

  • Ines Garçoni

    Responder

    nooooossa, valentina, que coisa curiosíssima! muito interessante. sabe que aqui no Rio e em SP já fizeram uma rede que é uma espécie de “fast food” de temakis, aqueles cones japoneses de peixe cru, sabe? vai na mesma linha do Ping Pong: comidinhas orientais em versão fast food… hahahahaha. estas trouxinhas da foto me parecem deliciosas… é a mesma coisa que a gente chama aqui de guioza, né?

  • Cláudia

    Responder

    Nunca comi dim sum, mas como a Cláudia falou que tem na Liberdade, quando for à S.Paulo vou experimentar. Deve ser muito gostoso.bjs!

  • valentina

    Responder

    Duly, se tiver um bom restaurante de comida chinesa talvez sirvam.Dá uma checada.Cris, sim. Gyoza é o nome japones dos chinese dumplings que incluem dim sums. Se descobrir mais sobre a diferença te conto.Elviran, você é danada mesmo.Espero que faça novamente e divida a receita conosco.Sementes de sesamo, se vieres a Londres me da um toque.podemos nos encontrar.Clarice, obrigada querida.Vc é sempre tão doce. E imaginei que vc conhecesse dim sums também.Claudia, se fores manda contar.Adoraria saber as tuas impressões.Itza, ai, de mau gosto mesmo.risos. Não é para menos que te tirou o apetite.risos.Agdah, me conte da simbologia do nome Mukti.Não conheço.fiquei curiosa.

  • Agdah

    Responder

    Menina, e pensar que milhões de pessoas andam atrás de Mukti e você já encontrou… Alguém com esse nome deve ser muito espiritual. Mas voltando ao assunto principal, o problema do dim sum é conseguir dizer não as delícias passam nos carrinhos.

  • Itza

    Responder

    Oi Vale!!! Que delicia ver esta foto… disse a meu marido: Uyy, vamos a este restaurante que menciona Valentina em Soho,pra comer Dim Sum e me responde: Que va!!! Você já viu algum enterro de chinês? Nos dim sum de carne é onde colocam os cadaveres!! arghhh que piadinha de mal gosto!!! hahahaha Perdi a vontade por 5 minutos! 😉 Beijocas e qualquer dia que vc tenha tempo me escreve pra gente se encontrar e tomar um café.

  • Cláudia A.

    Responder

    Nunca comi dim sum mas sei de um restaurante na Liberdade, aqui em São Paulo que é especializado nisso. Quem falou dele foi o Marcelo Katsuki no seu blog Comes e Bebes. Depois dessas fotos acho que vou ter que ir lá experimentar. Beijo.

  • Akemi

    Responder

    HUmmmm adoro estes bolinhos, tão leves e saborosos! E o texto é um caso a parte, amiga! Você sempre consegue nos transportar para todos os estes lugares e até a sentir os sabores dos pratos que experimenta! Beijos

  • semente de sésamo

    Responder

    Que lindas fotos! Eu sou uma verdadeira apaixonada por dim sum, desde que os provei num dos melhores restaurantes de Hong Kong. Em Portugal,(e à excepção da casa da Elvira, claro) há apenas um sítio onde se fazem dim sums dignos de assim se chamarem que é no restaurante do Casino do Estoril. Quando for a Londres não perderei a oportunidade!

  • Elvira

    Responder

    Adoro isso! Já fiz uma vez em casa e ficaram muito bons. Mas como as fótos ficaram uma droga, nunca postei a receita… 😀

  • Cris

    Responder

    Valentina, eles lembram os wontons ou gyozas? Estou adorando esta suas incursões na culinária asiática, quanta coisa boa!

  • Duly

    Responder

    Adorei conhecer os dim sums,pena não termos aqui no Brasil para experimentar

Leave a Comment