Clafoutis de damascos

33 Comments

Fim de semana passado foi prolongado pois a segunda foi feriado. É tão bom quando a gente tem um dia a mais para fazer aquelas coisas que ficam pendentes por conta de trabalho e outras coisas da rotina da gente. Tive que resolver coisas e acabei passando vários dias em Londres. Saí de casa na sexta de manhã e só voltei no domingo fim de tarde. Segunda foi um dia também bem cheio. E então mais uma semana começou.

Quando estive em Londres fiquei na casa de uns amigos e quis muito fazer este clafoutis para deixar na geladeira deles pois eles estavam viajando. Mas não lembrava da receita de cor e tentei fazer uma mas tive vários contratempos e no final não deu certo. Hoje me deu uma vontade imensa de comê-lo pois encontrei damascos perto do trabalho. Resolvi então que desta vez iria fazê-la em casa. Passei a mão nos damascos e vim embora.

Na correria de pegar os damascos na volta para casa não prestei muito atenção a eles e acabei chegando em casa com damascos que estavam não maduros. Um pouco firmes demais para esta receita. A fruta tem que estar madura mas firme. Eu deveria ter esperado até o fim de semana pois muito provavelmente os damascos teriam amadurecido um pouco. Mas como sou muito sem paciência parti para a receita assim mesmo. E deixei macerar por um pouco mais que o tempo indicado. Não sei se fez diferença no final, mas me senti melhor por testar.

Adoro esta ‘massa’ de clafoutis. Já fiz uns bons clafoutis nesta minha vida apaixonada pelo forno, e esta  massa é uma das minhas favoritas. Vou usa-lá bastante no verão – com cerejas, com pêssegos, com ameixas. Ela é leve, só tem 20g de farinha, bem levinha para verão. Tente usar uma forma na medida indicada para se assegurar de ficar com uma boa medida de massa para fruta. Hoje usei uma forma maior do que a indicada pois a minha de 20cm está na vizinha. Acabou resultando num clafoutis de massa muito rasa.

Clafoutis de Damascos

Inspirado na receita de Raymond Blanc

Ingredientes para macerar os damascos:

  • 8 damascos partidos ao meio e sem semente
  • 5 colheres de açúcar
  • 10g de manteiga sem sal derretida

Ingredientes para a massa do clafoutis:

  • 20g de manteiga sem sal
  • 2 ovos médios
  • 3 colheres de sopa de açúcar
  • ½ colher de chá de extrato de baunilha
  • 20g farinha de trigo
  • 60ml de leite em temperatura ambiente
  • 75ml de creme de leite fresco

Preparo:

Comece macerando os damascos:

Ponha todos os damascos numa tigela e jogue 3 das 5 colheres de açúcar por cima. Misture bem o açúcar com os damascos. Este processo vai fazer com que o sabor dos damascos se intensifique. Deixe macerando por umas 2 horas.

Depois de 2 horas ligue o forno – 200oC. Pegue uma forma refratária de 20 cm e unte com a manteiga derretida. Jogue as restantes 2 colheres de açúcar na forma para polvilhar. Reserve.

Agora preparando a massa:

Derreta as 20g de manteiga ao estilo ‘noisette’. Deixe esfriar. Bata os ovos, açúcar e extrato de baunilha numa tigela para incorporar. Depois acrescente a farinha aos poucos e assim que a mistura ficar homogênea acrescente o leite e creme de leite, batendo sempre com o fouet. Derrame o liquido dos damascos na mistura e transfira a mistura para a forma pré-untada. Espalhe os damascos por cima e leve ao forno por uns 30-35 minutos. Faça o teste do palito para ver se ele já está pronto. Retire do forno e sirva-o ainda morninho.

test

33 Comments
  • Ana

    Responder

    Valentina, q coisa linda esse doce, adoro damascos frescos!
    Bjs
    Ana

    • Trembom

      Ana querida, eu tam’bem. Sabe que outro dia fui visitar uma amiga turca e a mãe dela me ofereceu uma ‘strip’ de damascos feito com damascos do quintal delas. O tio pega os damascos e cozinha sem nada artificial, depois pega a pasta e espalha para secar. ótimo para se belicar. vc morde e o sabor do damasco explode na boca. Um sonho Ana, você teria adorado.

  • Bruna do Gourmandisme

    Responder

    Valentina, cheguei agora ao seu blog e me encantei! Já o adicionei a minha lista de leituras! Parabéns!
    E essa ideia de clafoutis com damascos é otima!!! Beijos

    • Trembom

      Bruna, obrigada, volte mais vezes.

  • Léia Silva

    Responder

    Uau, salivei!
    Que delicia essa receita, adoro damascos (e é mais uma frutinha que comi pela primeira vez aqui na Itália)!
    Um abraço
    Léia

    • Trembom

      Léia, e ai voces pegam dela bem docinha, ne?! Vc tem um clima mais favoravel como na Franca e Espanha.

  • Lylia

    Responder

    Oi Valentina,
    Sempre apareci por aqui,m as ainda não tinha comentários.Agora ,que tenho um blog, vejo como é bom essa interatividade.
    Hoje é só pra te dar os parabéns por suas blogagens e convida-la a conhecer o meu http://www.sosimplesassim.blogspot.com
    Seja bem vinda,
    Lylia

    • Trembom

      Lylia, obrigada pela doce mensagem. vou já ver o teu canto. É muito gostoso mesmo está troca que rola nos blogs. Sucesso ao ‘So Simples Assim’

  • Renata

    Responder

    Tina, teimei ano passado e não fiz o clafoutis de cereja. Agora haja tempo pra elas voltarem à época. O seu parece lindo!

    Beijo!

    • Trembom

      Re, que pena. Na próxima vez não dorme no ponto. E me conta por favor. Estou com umas cerejas que acabei de receber e vou reservar algumas para um clafoutis também.

  • Patricia Scarpin

    Responder

    Vou ter que esperar a época dos damascos voltar, querida, mas vou guardar com carinho a receita, adoro clafoutis e esse seu está tão lindo!

    • Trembom

      Pat, guarde então. Ainda quero fazê-lo mais uma vez antes do final da estação.

  • Cristina Lunardeli

    Responder

    Esse clafoutis está com um lindo aspecto! pena não encontrarmos damascos frescos com facilidade por aqui!
    Bjsss

    • Trembom

      Que pena Ana. ; o ( Nem no verão?

  • Ameixinha

    Responder

    Segundo o que eu aprendi, clafoutis é o que é feito com cerejas, todos os que são feitos com outras frutas são chamados de flougnard 🙂 Eu adoro!

    • Trembom

      Ameixinha, aprendi algo novo.Gostei.

  • Stefânia

    Responder

    OI Tina, tudo bem Querida?

    Sabe que eu sou fã incondicional das suas receitas, né? Mas hoje você tocou bem no coração.

    AMO damascos fresco, AMO mesmo! A pena é que aqui vemos tão pouco e nem sempre tenho a sorte de conseguir um bom como os que comi na Europa…infinitamente deliciosos!

    Mas não desisto, quando voltarem a aparecer por aqui sua receita será o destino deles.

    Saudades de você!

    Beijo, beijo1

    • Trembom

      Oi querida, se pudesse te mandava uns damascos fresquinhos. pena a distância nao facilitar isso. No continente eles ainda são mais saborosos do que os que compramos por aqui. Mas mesmo assim ainda pegamos umas coisinhas gostosinhas. Saudades também.

  • Paulo RT

    Responder

    Adoro clafoutis e flaugnard. Incrível como existem tantas receitas diferentes para se fazer a “mesma” coisa.
    O que eu faço (flaugnard de framboesas apresentado no BC), de uma receita que meu tio-avô achou em suas andanças pela França, é feito ao contrário: mistura-se os secos e então acrescenta os ovos e depois o creme de leite.
    O seu ficou lindo. Também gosto morno (nesse estágio já comi uns 2 pedaços, sendo o primeiro na saída do forno :D).
    Depois do segundo que fiz, vi que fica melhor mais “queimadinho” como esse que fez, além de mais charmoso.

    • Trembom

      Paulo, flaugnard. Não conhecia, e agora vou buscar mais informações sobre eles. Este de framboesas me encantou, e estamos na estação. Elas estão lindas, gorduchas, suculentas. Esta quiemadinha do claufoutis deixa realmente um gostinho bom na boca, meio caramelado. Na variacao que quero fazer com cerejas vou macerar com um pouco de cassis.

      • Paulo RT

        Ai na Inglaterra chamam de flognard. Na verdade é a mesma coisa que o clafoutis. Flaugnard é para os puristas o clafoutis feito com outra fruta que não seja a cereja.
        Mas todo mundo chamam de clafoutis pois é mais conhecido assim.

      • Paulo RT

        Na minha receita (http://baunilhaechocolate.com/flaugnard-de-framboesa), pode ver uma breve explicação.
        Quanto a receita, é questão de escolha, pode usar cerejas ou outra fruta, então será clafoutis ou flaugnard.
        Uma curiosidade: Ambas as variações surgiram na Occitânia, região do sul da França conhecida por ter sido a região do povo cátaro, massacrado pela igreja na idade média dando início à inquisição após a primeira cruzada em solo europeu.

      • Trembom

        Meu Deus, o flognard de voces está lindo!! Tão lindo que me deu vontade de fazê-lo para provar. e vou fazer com certeza. Aprendi coisas novas, e é tão gostoso quando isto acontece.

      • Paulo RT

        Obrigado.
        Também adoro conhecer coiss novas. E no Trem Bom conheci várias coisas novas, a primeira vez que ouvi falar e vi um scone foi aqui, acredita? Faz um tempinho já, devo ter comentado.
        Uma dica, esse que está no BC, depois dessa vez com as fotos, deixei mais um pouco no forno e ficou mais queimadinho como o seu, fica bem melhor.
        Ele só tem um problema, sai do forno alto e se tomar um ar frio, pode baixar. Nas fotos, estavam baixos, pois tirei do forno e estava na altura da fôrma, sai correndo, passei pelo quintal e subi 2 lances de escada até chegar à mesa de foto, quando vi… 😀

        • Trembom

          Já dei uma gargalhada te imaginando correndo com ele. é, estes moços que murcham um tiquito. mas nos ensinam que o sabor está ainda lá.

  • photoarte

    Responder

    Tina querida,
    as florzinhas estão aí, né mesmo… rs
    Adoro damasco, mas lhe confesso que numca comi um fresco, só seco que compro no mercado central de Bh.
    Parece com pessego né? Lindo !
    Ahhhh me cobre o café.
    Vindo a BH, Minas, esteja convidada!
    Beijinhos
    Sandra

    • Trembom

      Sandra, agora ri. Confesso que pensei em ti ao pegar as flores. São da casa do vizinho, de uma planta que fica parecendo um arbusto. Nesta época do ano as florzinhas aparecem e são lindas. Peguei estas para colocar em uns pequenos vasos. São realmente muito bonitos os damascos.

  • Ana Paula de Jesus Louvem

    Responder

    Damascos… é tudibom sô!!!
    E a geléia de damascos, não deixe de fazer viu?
    Beijocas procê!
    Adorei esta receita!

    • Trembom

      Ana querida, vou fazer sim. E te contarei do resultado. Se chegares a fazer esta depois me conta.

  • Téia

    Responder

    Querida, que receita linda. Nunca tinha visot claufotis com damascos frescos. UAU!!! Só você mesma… Saudades…Bjkas mil…

    • Trembom

      Pois é fôfa, Quando vi esta receita me apaixonei. Fiquei imaginando a danada feita num dia de sol, dividid a com amigos. Gostei da coisa da maceração. Saudades.

  • Jô Bibas

    Responder

    Valentina,
    Damascos in natura! Thank you!
    BJô

    • Trembom

      Jo, amo quando eles começa a aparecer. São tão lindos, cara de dia de sol.

Leave a Comment