Bolo de Milho típico do Ceará

9 Comments

Como vocês provavelmente sabem nasci no Ceará, região do Cariri, numa cidade chamada Crato. A maior parte da minha família se encontra naquelas partes do nordeste – Missão Velha, Juazeiro do Norte, Várzea Alegre, Milagres. Passei muitas férias no Ceará, mas quando menina nunca fui ligada à cozinha. Não por não gostar, mas por ter primas extremamente dotadas. Eu era a prima da cidade, da capital.Imprestável na cozinha. Venho nesta fase bem tardia da minha vida resgatar as minhas raízes de forma intelectual também. Meus pais ganharam um livro lindo de um amigo intitulado “Sabores e Saberes do Ceará” de autoria de Delfina Rocha. Não quero entrar muito na história do livro aqui, pois vou postar sobre ele numa outra ocasião. Na parte da doçaria vi esta receita de bolo de milho e mamãe ficou cheia de histórias. O fiz hoje para presentear uns amigos de longa data, contemporâneos em idade de meus pais, que conhecem a mim e a meu irmão há muito tempo. A senhora foi uma grande bolera e não só provou como aprovou o bolo. Passo-lhes a receita aqui.

O milho usado é milho pré-cozido. Mamãe comprou Milharina da Quacker. Aparentemente a Yoki também vende um produto similar de muito boa qualidade chamado Flocão. A única coisa é que o Flocão tem que ser escaldado primeiro. O que me faz comentar que na minha opinião na falta de milharina o fubá normal pode ser utilizado, pois a receita vai pedir que se cozinhe os ingredientes e isto é um escaldamento. Mamãe também comentou que na sua época de menina só havia fubá pré-cozido então só se usava o fubá normal.

Quanto ao milho, andei dando uma lida e descobri que o nos primórdios nossa nação o indígena brasileiro cultivava o milho, porém não lhe dava a mesma importância que dava à mandioca. Consumia o milho mais como fruto, assado ou na forma de uma bebida cerimonial – que primeiro era mastigado e só então fermentado. O negro por sua vez não teve grandes amores pelo milho inicialmente. Preferia o painço ou o sorgro africano. Os milharais serviam para os animais de criação. Foram os portugueses os grandes responsáveis pela utilização intensiva do milho, e a sua transformação em farinha. Porém também não tenho intenção de me delongar muito neste quesito.

Só lhes digo que o milho é um alimento muito utilizado no nordeste e esta receita é típica do Ceará. Esta é uma receita para bolo grande como você verá logo ao ler a quantidade do primeiro ingrediente listado.Bem coisa de Brasil.

Outra coisa que gostaria de dizer é que estou apanhando um pouco, pois mamãe não tem balança em casa. Acho que Deus quis me dar uma lição para deixar de tanta teoria quando procuro dar medidas bem exatas. Minhas amigas Tânia e Iliane estão com certeza rindo de mim ao ler este trecho. O que tenho usado para medir muitas coisas como, por exemplo, a milharina aqui listada é um copo de medidas que se compra por estas bandas em que a medida de uma xícara corresponde a 150g de farinha.

Você precisará de um tabuleiro grande – sou muito detalhista quanto a tamanho de formas, porém mamãe não sabe do tamanho exato desta e não tenho réguas; diria que pelo menos 30cm.

forno médio – 180°C

Ingredientes:

  • 1 litro de leite
  • 3 xícaras de massa de milho pré-cozida
  • 3 xícaras de açúcar
  • 4 ovos separados – as claras devem ser batidas em neve
  • 3 colheres de sopa de farinha de trigo (usei umas de 15ml)
  • 3 colheres de sopa de manteiga
  • 200ml de leite de coco
  • 50g de queijo ralado – de coalho ou parmesão

O preparo:

Ponha todos os ingredientes numa panela com exceção do leite de coco e as claras, e mexa sem parar até ferver. Em dias quentes como hoje no Distrito Federal se torna meio punk lidar com tanto calor, mas valerá a pena. Ao ferver retire do forno e deixe esfriar. Escolhi transferir a mistura para uma outra vasilha para facilitar o processo de resfriamento. Uma vez frio despeje o leite de coco e as claras em neve – um por um, e incorpore-os delicadamente à massa. Transfira a mistura para a assadeira previamente untada e leve ao forno por mais ou menos 40 min. Aos 30 min já dê uma checada no bolo.

Deixe esfriar por uns 10 minutos na forma e só então desinforme cuidadosamente. Polvilhei o meu com açúcar de confeiteiro.

9 Comments
  • miki w.

    Responder

    valentina, q bom q os portugueses deram um status mais lisonjeiro ao milho! acho tão booom! de todos os jeitos, adoro!bjs, miki

  • Anonymous

    Responder

    Ah, e eu com tanto milho sobrando em casa… uma verdadeira plantação!!! Obrigada pela receita!

  • Márcia

    Responder

    Amiga me perdoe mas também sorri com a citação da balança. Fico feliz de saber que o copinho de medida está substituindo a contento, principalmente em se tratando de Bolo de Fubá. Afinal estas medidas partiram de Pernambuco(voçê lembra?…) ora tem residência londrina. Conheço o Crato, Cariri, terra de gente perseverante, é muito lembrado através desta música:“A vida aqui só é ruimQuando não chove no chãoMas se chover dá de tudoFartura tem de porçãoTomara que chova logoTomara, meu Deus, tomaraSó deixo o meu Cariri No último pau-de-arara…”Beijos

  • Patricia

    Responder

    Amiga, um amigo da família muito bacana (aquele pra quem mandei os chocottones e os snickerdoodles) também nasceu no Crato, olha que coincidência.Esse bolo de milho está demais – tão amarelinho e eu, que sou uma pessoa pra lá de visual quando se trata de comida, fiquei salivando, literalmente. Que coisa feia, amiga, uma marmanja como eu ficando de “zóio grande” por causa de bolo. Mas fiquei mesmo. ;DRi tanto de ti com a coisa da balança. Levei a minha pra casa do meu pai na praia, pq sem ela não sei nem fritar ovo.

  • lunalestrie

    Responder

    Valentina, eu nasci em Fortaleza mas morei desde pequena na cidade de Boa Viagem, fiquei até meus 15 anos lá e voltei pra cá. Já fui no Crato uma vez quando criança e achei lindo, fiquei na fazenda Santa Fé, que é da família do meu pai e lembro que adorei o clima. 🙂

  • valentina

    Responder

    Luna, realmente é bolo feito muito em época de junho. Vou atazanar uma tia com mil telefonemas e mil perguntas. Vou procurar no mapa a regiao de onde es para ver quais as cidades. E quanto ‘a proximidade do Pernambuco, a Paraíba também tem grandes laços. Pelo menos através da familia da minha mãe.Karen, realmente é mais uma amiga.Vou arrumar meus arquivos e fazê-lo por ingrediente.rssRegina, com certeza meia receita é bastante. Fiquei besta com o tamanho do tabuleiro.rss

  • Regina

    Responder

    Parece ser bem molhadinho…vou anotar a receita, mas acho q meia talvez seja o suficiente… bjs

  • Karen

    Responder

    Mais uma receita de bolo de milho/fubá para guardar! Parece muito bom!

  • lunalestrie

    Responder

    Valentina, acho que já comentei contigo que meu pai é do Crato, no entanto não conheço tanto da cultura da região do Cariri, só o que meu pai conta, pois passei a infância numa cidade do Sertão Central e depois vim pra Fortaleza, onde os costumes são bem diferentes. Acho que o Cariri tem um pé em Pernambuco, até pelo sotaque. Essa receita me parece maravilhosa, nunca fiz uma parecida, mas me lembra bolo junino, deve ser gostoso.

Leave a Comment