Bolo de laranja com pecãs e material de outros

21 Comments

Resolvida a questão do laptop – comprei um novo, volto para dividir esta receita que para mim é muito especial. A elegi a minha receita favorita de laranja.Ao pensar em publicar esta receita um turbilhão de pensamentos se desencadeou na minha cabeça. Esta questão de publicar receitas de outros tem que ser feita de forma correta, seguindo uma etiqueta que não é só necessária para a Internet. Bom senso é a grande palavra. Plágio é plágio não interessa que meio tenha sido utilizado. Recentemente andava conversando sobre isto com uma amiga. De uns tempos para cá tenho me aborrecido imensamente com certas pessoas no mundo de blogs do Brasil que sem a menor cerimônia se apoderam não somente de nossas imagens como de nossos textos. Não estou me referindo a receitas. Confesso ter me sentido exausta de mandar mensagens para gente desonesta que simplesmente adquire esta prática e tem a petulância de se apropiar de propriedade alheia e ainda desafiar o dono do material. Digo ‘mundo de blogs do Brasil’ pois até agora foi aonde se concentrou e concentra o meu problema. Nunca tive este problema com minhas publicações em inglês.

Procuro sempre colocar autoria das receitas que publico se as tenho. Esta por exemplo é de um dos meus grandes ídolos – me senti a própria adolecente ao escrever isso, o Dan Lepard. Como já disse em posts anterioroes ele publica semanalmente no jornal inglês The Guardian, edição que sai todo sábado. Acho que não estou infringindo nenhuma norma pois dou crédito a quem merece. E quem sabe isto também não aumenta o tráfego do site pois quem não o conhece passa a conhecer. Sei que muitas editoras dão em cima de receitas publicadas em blogs, pedindo inclusive que as receitas sejam retiradas. Acho que contanto que não se faça uma reprodução completa do livro de uma pessoa na internet porque isso tem outro nome, uma receita de livro aqui outra ali com os devidos créditos deveria ser permitida, e visto inclusive como uma forma de publicidade. Deve-se concentrar e atacar é a apropriação ilegal de materiais alheios.


Fotos tiradas na linda praia de West Wittering em West Sussex

Voltando a esta receita,seu sucesso foi grande. A levei para o trabalho e muita gente me mandou email para dizer como tinham gostado dela. Pena que não pude fazê- la para levar para um passeio que fiz com amigos no sábado. Algo para beliscar depois de uma boa caminhada na beira o mar. Fiz algumas pequenas alterações: parte da medida de farinha ‘normal’ foi substituída por farinha de amêndoas para dar uma textura mais úmida; usei pecãs ao invés de nozes puramente por gosto pessoal, e as tostei levemente antes de picá-las e misturá-las com a canela. A receita original recomenda colocar 2/3 da massa, depois salpicar um pouco da mistura de pecãs, depois o restante da massa seguido do restante das pecãs. Só coloquei as pecãs no final. Simplesmente por esquecimento. Dê o seu toque.

Loaf de laranja com pecãs

Fonte de inspiração: Dan Lepard em sua publicação semanal no jornal The Guardian aos sábados
Ingredientes:

  • raspas de 5 laranjas
  • 150ml de suco de laranja (das laranjas a cima)*
  • pedaço de 3cm de gengibre descascado e ralado
  • 225g açúcar refinado
  • 100g manteiga
  • 3 ovos
  • 75ml creme de leite fresco
  • 
200g farinha de trigo
  • 125g farinha de amêndoas/ amêndoas moídas
  • 3 colheres de chá de fermento em pó
  • 
pecãs levemente tostadas, picadas e misturadas com canela em pó**

*as laranjas que usei eram bem grandes e o suco de 1 1/2 foi suficiente para os 150ml
**não tenho medidas para dar pois foi no olho – caso você coloque metade da mistura na massa lembre-se de que o excesso pode fazer a massa ficar pesada demais

Forma de bolo inglês de 19 cm decomprimento – untada e forrada no fundo e nas laterais

Preparo:

Pre-aqueça o forno – 180oC. Misture a farinha de trigo com o fermento e reserve.

Coloque o açúcar e suco de laranja em uma panela e leve a fogo médio baixo para derreter o açúcar – não mexa, só vire a panela para lá e para cá de vez em quando. Quando o açúcar derreter tire a panela do fogo, acrescente a manteiga e deixe esfriar. Coloco a minha em cima de uma vasilha com água gelada para acelerar o processo de esfriamento. A mistura tem que estar completamente fria antes de passar para os próximos passos. Acrescente as raspas, gengibre ralado,  ovos e creme de leite e use um fouet para misturar. Eu acho que o fouet acrescenta mais leveza à mistura. Por fim ponha as farinhas na mistura e ainda usando o fouet mexa para encorporar tudo. Você pode proceder de duas formas:

1a) coloque 2/3 da massa na forma e salpique parte da mistura pecãs e canela por cima; depois ponha o restante da massa e revista com o restante das nozes.

2a) coloque a massa toda e salpique a mistura de pecãs com canela por cima

Asse por 45 minutos e faça o teste do palito antes de retirar do forno. Deixe esfriar na forma por uns 10 minutos antes de transferir para a grelha e deixar esfriar completamente.

21 Comments
  • Cristina Lunardeli

    Responder

    Valentina, seu bolo ficou com um aspecto maravilhoso, não terei como escapar dele…laranjas me puxam!rs,
    Tenha uma ótima sexta e um lindo final de semana!

    • Trembom

      Cris, te prometo que ele é mais do que uma cara bonita. Se fizer me diz se gostastes ou não.bom fim de semana pra você também.

  • Tânia

    Responder

    Valentina querida. Tenho certeza que estes “Parasitas” da internet tem seus dias contados.
    E tirando estes aborrecimentos, alguém aqui em casa vai amar provar essa combinação de laranjas, pecãns e canela. Preciso fazer!
    Suas fotos continuam maravilhosas!
    Beijinhos

    • Trembom

      Tânia querida, te digo que realmente esta receita fica ótima. Já me pediram até para fazer outra vez. vou usar grapefruit da próxima vez só para ver como fica.E para dar uma variada.

  • Luciana Betenson

    Responder

    Valentina, esta questão de plágio no Brasil anda bem complicada mesmo. E incrivelmente parece ser senso comum aqui que “o que está na internet é de todos, não pertence a ninguém”. Mas as coisas começam a mudar, pelo que vejo e escuto, principalmente de amigas advogadas que atuam nesta área. Assim esperamos. Adorei o bolo, tem uma cara de muito úmido e saboroso. Beijos!

    • Trembom

      Lu, espero que realmente mude pois é um absurdo isso. Este bolinho por outro lado é ótimo, de deixar a gente com um sorriso no rosto.

  • Cacahuete

    Responder

    E uma pena isso acontecer um pouco por todo o lado. E parece ser uma luta que nao leva lado nenhum infelizmente. Pois que o faz, continua a fazer, e de certeza que dorme tranquilamente sobre o assunto.

    Beijinhos

    • Trembom

      Voce falou tudo. Não quero mais me desgastar com isso pois me tira energia.

  • Rachel Azevedo

    Responder

    Olá Valentina, assim como você também fico indignada com a atitudes de certas pessoas em relação às publicações alheias. Como disse a amiga acima, também faço parte do grupo de blogueiras de gastronomia no facebook e nossa luta contra o plágio já está no 2º ano e apesar de parecer o contrário já conquistamos, muitas vitórias na luta contra o plágio, mas a solução total ainda está longe. Infelizmente como disse a Ana, lidamos com pessoas sem noção nenhuma e que ainda são seguidas por pessoas que as apoiam.
    Mas não desistiremos, quem sabe um dia acabamos com isso…o que sinto mais e ver “blogs do brasil” relacionados a isso!
    Peço que me perdoe o desabafo.
    UM ABRAÇO!

  • apaquini

    Responder

    Valentina…aqui no Brasil ( e em outros países também) este negócio de plágio está muito presente! No facebook temos um grupo de “blogueiros de gastronomia” em que a nossa grande luta é justamente contra o plágio! Fizemos, no dia 05/09 uma postagem coletiva sobre este assunto, e caímos de pau em cima de que sabemos ser plagiador! Entretanto temos nos deparado com situações em que os plagiadores não dão a mínima para isso e as pessoas que os seguem ainda os defendem! A coisa está feia mesmo! É uma luta constante! O que combatemos é exatamente isso: roubo de conteúdo! Fazer a receita e dar os devidos créditos…ok! Mas roubar a PRODUÇÃO inteira…nem pensar!!! Quanto ao teu bolo, ficou lindo…dá quase para pegá-lo…com certeza o farei! Um abraço.

    • Trembom

      Meninas, interessante ver sobre a batalha de voces. E Bravo por estarem na luta. Eu me confesso exausta. Nao tenho tempo de ficar escaneando a internet atras de minhas fotos, mandando email e voltando para checar dias depois so para ver que nao mudou nada, e muitas vezes para receber emails abusivos. HOje em dia fico sabendo muito pois tem pessoas queridas que conheco que participam deste processo de busca por estas mesmas razoes.Seus materiais sao roubados. E isso me entristece e aborrece. Sei que nao sou a unica que passa por isso. E como comentei disse blogs do Brasil pois no universo que frequento ai é aonde tenho (eu pessoalmente) presenciado este problema. No mundo de blogs estrangeiros que frequento nao tenho visto isso da mesma forma. Isto eh experiencia minha , faço questão de dar ênfase a isto. Obrigada por deixar aqui a mensagem de vocês para mostra que tem uma turma grande batalhando para atacar esta doença – sim, é uma patologia.

    • Juliana Delgado

      Oi Valentina! Amei o seu blog! Além de receitas deliciosas, mato as saudades da Inglaterra, também morei por aí por um tempo. Não queria mais ir embora. Paraíso para nós que amamos a boa mesa!!! Fico triste em ouvir isso do sobre os blogs brasileiros, faz pouco tempo que entrei nesse mundo e estou adorando. Vamos ver se mudamos essa imagem!! Às brasileiras que estão lutando por isso. Será uma prazer me juntar a vocês.

      Sobre o bolo!!! Não tem o que dizer…. Está na minha fila para experimentar!!!! Que lindo.

      • Trembom

        Oi Juliana, obrigada pela visita. VC morava aqui pelo sudeste? Não sei quando vc saiu daqui, mas na gastronomia tem mudado imenso a passo rapido. Nestes 22 anos vejo um outro pais neste campo. Quanto ao bolo faça pois adorara. Tenho certeza.

      • quitandagourmet

        Valentina, eu morei em Londres, uma delícia. Em 2005. Foi muito gostoso. Fiz meu curso de Chef de Cozinha aí, no Le Cordon Bleu, um no maravilhoso! Desde que voltei não parei de acompanhar o mercado gastronômico daí, uma loucura. espero que o Brasil chegue a 1/10 do estágio que Uk chegou, já seria ótimo!!!!

        Muitas felicidades!! Depois visite meu blog: http://www.quitandagourmet.com.br

        • Trembom

          Oi Juliana, O tempo passa r’apido, nao?! Vc vai notar muitas mudanças no próximo passeio que fizer por aqui. A escola fica em uma àrea ótima. Morro de vontade de fazer um curso por lá mas a oportunidade ainda não apareceu. Vou com certeza te visitar. Obrigada pela visita.

  • Jô Bibas

    Responder

    Linda receita, como sempre. E esses alertas são sempre bons… A internet abre ao público, mas mesmo por aqui é possível manter a educação e o respeito. Sinto isso por que temos blogs autorais, onde a gente se coloca, usa imagens que produzimos, receitas que cozinhamos, artesanatos que fazemos. Seria bom saber que os créditos são devidamente dados.
    BJô

    • Trembom

      Pois è Jô, seria tão bom se as coisas fossem um tiquito diferentes.

  • Fernanda

    Responder

    Oi Tina querida!
    Esse negócio de plágio é Fo*&¨%$ né!!
    Agora… a coisa boa é esse bolo hein!! Eu simplesmente ameei!!!
    Vou receber minha irmã esse fds e já vou providenciar um desse pra ela!! rs
    Grande beijo
    Saudades

    • Trembom

      Fê linda, este bolo é muito bom mesmo. Se fizeres me conta depois. Gostaria de saber se te agradará também.

  • Patricia Scarpin

    Responder

    Tina, querida, mais um post excelente – muita gente deveria ler o que vc escreveu. People that lead others on. Odeio. Publicam receitas sem dar a fonte como se fossem criações próprias.
    Seu loaf está lindo e é realmente a minha cara. Dá pra ver as raspinhas de laranja naquela foto, morri de vontade! As receitas do Lepard são realmente ótimas e funcionam sempre.
    xx

    • Trembom

      Pat, como te disse no email este bolo tem teu nome all over it. Foi a primeira coisa que pensei ao fazê-lo, e que se confirmou ao degustá-lo.

Leave a Comment